Proposta Autismo

Moradia Assistida e Integração Social

A moradia assistida é um tema bastante abordado por famílias de autistas moderados e severos. Isso acontece porque pais de indivíduos no espectro têm uma grande preocupação: quem vai cuidar do meu (minha) filho (a) quando eu não estiver mais aqui?

Propósito

É preciso ter em mente que o propósito das moradias assistidas é construir a ideia e o sentimento de lar, evitando o processo de institucionalização, ou seja, o autista precisa se sentir acolhido. É fundamental que o morador veja como um local onde conseguirá exercer sua cidadania e sua independência como a sua própria casa. O propósito é oferecer uma moradia digna e humana.

Elas podem ser uma opção para que os autistas tenham dignidade e qualidade de vida. Esses locais contam com equipe multidisciplinar capacitada e disponível para prestar um atendimento personalizado e qualificado.

É fundamental que o autista more em um local que o ajude com suas limitações, problemas de comunicação e linguagem, dificuldades motoras e cognitivas.

Conclusão

Em resumo, uma residência terapêutica oferece um ambiente de cuidado mais humanizado, que visa promover a reinserção social, a autonomia e a qualidade de vida das pessoas com transtornos mentais graves. É uma alternativa ao modelo asilar, proporcionando cuidados contínuos e um ambiente de convivência que evita as reincidências de internações em hospitais psiquiátricos.

Método

Ao escolher a moradia assistida, é preciso observar alguns pontos. O adulto ou jovem autista consegue realizar suas atividades de forma independente? É capaz de preparar a própria comida e cuidar da higiene?

As moradias assistidas devem ser bem localizadas, em um bairro residencial e de fácil acesso aos serviços necessários para o bem-estar dos autistas. A equipe de cuidadores precisa estimular a pessoa com o TEA a ser independente para realizar suas tarefas do dia a dia.

O plano terapêutico varia de acordo com o grau de dependência do autismo ou outra deficiência.

Há moradores faixa etária, tipo e grau de limitação ou ainda sem critérios específicos que possuem equipes de assistência garantem serviços básicos e que contam com monitores período integral.

Proposta

Uma residência terapêutica é uma opção de cuidado em saúde mental que oferece uma série de benefícios para as pessoas com transtornos mentais graves. Algumas das razões pelas quais uma residência terapêutica pode ser uma escolha adequada incluem:

1. Reinserção social:  A residência terapêutica proporciona um ambiente residencial normalizado, permitindo que os moradores vivam em uma comunidade e tenham interações sociais significativas. Isso ajuda a combater o isolamento social e promove a reintegração na sociedade.

2. Autonomia e independência: A residência terapêutica busca promover a autonomia e a independência dos moradores, oferecendo suporte para o desenvolvimento de habilidades para a vida diária, como cuidados pessoais, administração de medicamentos, organização doméstica, entre outros. Isso permite que as pessoas se tornem mais autossuficientes e tenham maior controle sobre suas vidas.

3. Cuidados contínuos: Nas residências terapêuticas, há uma equipe multiprofissional disponível para oferecer cuidados contínuos aos moradores. Isso inclui acompanhamento clínico, suporte emocional, administração de medicamentos, entre outros cuidados necessários. Essa assistência constante ajuda a prevenir recaídas e internações hospitalares.

4. Ambiente acolhedor e menos restritivo: Ao contrário dos hospitais psiquiátricos, as residências terapêuticas oferecem um ambiente mais acolhedor e menos restritivo. Os moradores têm mais liberdade para tomar decisões sobre suas vidas, participar de atividades da comunidade e ter uma rotina mais flexível. Isso contribui para a melhoria da qualidade de vida e bem-estar dos moradores.

5. Inclusão familiar e comunitária: A residência terapêutica busca trabalhar em parceria com a família e a comunidade, promovendo a inclusão social dos moradores. Isso envolve a participação da família no processo de cuidado, a criação de redes de apoio e a integração dos moradores em atividades e serviços da comunidade.

6. Ambiente Temporário: Indicado para moradores temporários que precisam de um local seguro e confortável durante curtos períodos, como férias familiares, feriados prolongados, entre outros.

Reforçando que o direito à moradia e residência protegida é previsto em Lei (Art. 3º, Inciso IV – Lei 12.764/2012).

error: Content is protected !!